• Página Inicial
  • Blog

A Copel Mercado Livre completou cinco anos de existência nesta quarta, dia 28 de abril, com diversos motivos para comemorar. Atualmente, a subsidiária é a segunda maior comercializadora de energia do país, com 2.302 MW médios comercializados. Com crescimento médio de 171% nos últimos 4 anos, a empresa está presente em 22 estados brasileiros. Essas conquistas foram acompanhadas por um aumento expressivo no número de clientes: eram 384 em dezembro de 2019 e atualmente são 1.764.

“Ao longo desses 5 anos, reputamos com o maior destaque, a mudança da cultura”, destaca o diretor-geral, Franklin Miguel. “Foi a mudança da cultura que permitiu criarmos uma subsidiária e um novo negócio na Copel, superando os desafios e o medo do novo, superando resultados financeiros e encantando nossos stakeholders, em especial nossos clientes. Tivemos coragem, atitude e determinação. Fizemos um pacto com o sonho grande e com a mente aberta. “

Quando foi criada, em 2016, a empresa tinha um enorme desafio pela frente: um mercado competitivo, dominado por empresas privadas, e que seria afetado pela turbulência do setor de comercialização em 2019 e pela pandemia do coronavírus em 2020. Apesar de todas as dificuldades deste cenário, a Copel Mercado Livre trabalhou com atitude e determinação para reafirmar e fortalecer seu propósito: proporcionar competitividade de forma sustentável a seus clientes, com energia renovável e serviços de excelência. 

Com a implementação de um processo de modernização e digitalização de suas atividades, integrando sistemas e processos, a empresa cresceu e conquistou novos clientes. Também contribuiu para cumprir a missão da Copel, de investir no mercado de energia de forma sustentável e rentável, garantindo recursos para aplicar cada vez mais no Paraná. Redirecionando a sua estratégia, a empresa passou a priorizar a venda de energia para consumidores finais e a aquisição de energia de longo prazo diretamente de usinas de fontes renováveis. 

Tendo as pessoas como centro das mudanças, a empresa ganhou a confiança de novos clientes. Nos últimos anos, a Copel Mercado Livre assinou contrato para venda de energia a importantes instituições públicas: Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar), Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, Porto de Paranaguá e a Companhia de Tecnologia da Informação e Comunicação do Paraná (Celepar). Além disso, a empresa está atenta ao marco regulatório do gás. Já dispõe de todas as autorizações para comércio exterior, comercialização e carregamento da molécula. 

“Alguns de nossos clientes de energia elétrica também são grandes clientes de gás natural.  A convergência desses dois mercados deve ocorrer em breve”.

Os resultados demonstram a eficiência e a competitividade das soluções da empresa e ajudaram a trazer o reconhecimento. Em 2020, a empresa conquistou o 2º lugar no prêmio Maiores e Melhores, setor de energia, da Revista Exame. A publicação destacou que a Copel Mercado Livre foi laureada pelo “sucesso nos negócios e pela disputa de mercado com os concorrentes”. 

FUTURO – Para os próximos cinco anos, a Copel Mercado Livre vai trabalhar fortemente para encontrar novas oportunidades de negócios e oferecer soluções cada vez melhores para os clientes. “Sabemos que o negócio de comercialização de amanhã não será o mesmo de hoje”, comenta Franklin Miguel. “A abertura completa do mercado de energia elétrica é certa, tanto quanto o número de clientes que estão dispostos a migrar para esse mercado”. Além do aumento do número de clientes que estarão aptos a migrar para o mercado livre de energia, o que demanda constante inovação e aperfeiçoamento dos serviços ofertados.

Para isso, estamos focando na Transformação Digital e queremos nos tornar líder de mercado no processo de digitalização, oferecendo aos nossos clientes sistemas integrados, de fácil acesso e que permitam avaliar preço, consumo, produtos, bem como tomar decisões e contratar com agilidade. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tamanho dos textos