Entendendo o papel da CCEE no Mercado Livre de Energia

Quando falamos em energia no Brasil, nos deparamos com uma verdadeira sopa de letrinhas das siglas das instituições que compõem o sistema elétrico nacional ONS, CIM, ANEEL, enfim, cada uma delas representa um órgão importante na operação desse complexo sistema. 

Quando o assunto é a comercialização de energia no ambiente livre, precisamos incluir ainda a CCEE e entender, afinal, qual é o papel da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica neste mercado. Este é o tema de hoje aqui no simplifique o Mercado Livre de Energia.

Para falar sobre a atuação da CCEE no ambiente livre, a convidada de hoje é a Ingrid Heck de Souza, que é analista de comercialização da Copel Mercado Livre. 

O que é a CCEE?

A CCEE é a câmara de comercialização de energia elétrica, ela é uma associação Civil de direito privado sem fins lucrativos que trabalha sendo regulada e fiscalizada pela ANEEL. A gente pode dizer que se o mercado livre de energia fosse um clube ou um condomínio, a CCEE seria a síndica desse clube ou desse condomínio. Mas apesar de ela ter esse nome de câmara de comercialização, não é ela quem comercializa energia de fato.

Quem efetivamente faz essa comercialização?

Quem comercializa a energia no mercado livre são os agentes habilitados no mercado que tem esse perfil de venda, eles negociam a energia bilateralmente, eles podem ajustar as condições que forem do seu interesse como preço, prazo e outras condições, sem envolvimento da CCEE uma parte que compra uma parte que vende que negocia bilateralmente direto com o cliente.

Quais são as atribuições da CCEE e como ela atua nessa negociação?

Entre as várias atribuições que a CCEE tem nesse “condomínio” do mercado livre, duas das principais são a de ser a responsável tanto pela contabilização da energia, que é negociada, quanto pela liquidação financeira das dessas negociações no mercado de curto prazo, que a gente chama de MCP. 

Quanto às negociações que acontecem, como ela não está diretamente envolvida, ela disponibiliza os sistemas que é onde são registradas as negociações. Então a CCEE nesse sentido ela age como se fosse uma bolsa de valores, disponibilizando os meios para que sejam firmados de fatos os contratos que são negociados entre as partes. 

Como é que funciona essa questão da contabilização, o que a CCEE leva em conta?

Quando as pessoas entram para o mercado livre tanto o consumidor, quanto quem tá gerando essa energia e quem vai comercializar posteriormente também, que esses contratos são firmados geralmente por um médio longo prazo, e quando eles são firmados, não se tem uma certeza de quanto de energia vai ser consumida e quanto vai ser produzido de fato. Então o cliente pode comprar agora para daqui a 5 anos e quando chegar lá, daqui a 5 anos, ele vai tá necessitando consumir muito mais energia ou menos, e também pode acontecer essas diferenças na produção. 

Então a contabilização funciona para ajudar a manter esse equilíbrio, para evitar que sobre energia que foi produzida em excesso ou que falta energia que está sendo consumida a mais do que está sendo produzido. 

Além da CCEE fazer essa contabilização, ela também é responsável pelo controle do sistema de medição. Então ela tem os dados tanto de consumo quanto de produção em tempo real, ela processa essas informações e divulga a todos os agentes, todos os participantes interessados.

Atribuições da CCEE
Contabilização e controle da medição: para equilibrar produção e consumo. 
Cálculo da liquidação das diferenças entre o que é contratado, gerado e consumido: para equilibrar custos de oferta e demanda. 

São apenas essas informações de medição que são levadas em conta na hora da contabilização ou não tem outros dados? 

Tem outros dados sim, além dos dados de medição que informa o quanto foi gerado e o quanto foi consumido no mundo físico, também tem as informações que são obtidas no módulo de contratos que informam o quanto foi negociado para o mesmo período de energia e que foi registrado no sistema, além desses dois dados depois a CCEE atribui um preço de referência que é o PLD, que já foi explicado em outro programa o que seria esse PLD, consideram os encargos que podem estar envolvidos para o período e outros ajustes financeiros e é feita a liquidação financeira desse montante de energia, desse montante financeiro envolvido por período. 

Como o cliente sente tudo isso no fim das contas, é complicado para ele? 

No produto que a Copel vende de gestão a gente tenta facilitar isso para o cliente porque ele tem que fazer esse balanço entre o que ele consumiu de fato e o que ele tem contratado. Após a disponibilização dos dados consolidados, ele tem um curto prazo que ele pode comprar essa energia que faltou ou ele pode vender energia se ela tiver sobrado, só que é um prazo bem curtinho. Então para os clientes de gestão do simplifique da Copel quem faz análise de forma mais rápida é o próprio especialista da Copel então fica com o cliente só a tomada de decisão. 

Se você quiser saber mais sobre o produto Simplifique contate nossos especialistas e tire todas as suas dúvidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tamanho dos textos