O cenário do mercado de energia elétrica em outros países

mercado de energia elétrica

No Brasil, o mercado livre de energia corresponde a 28% do consumo nacional e vem crescendo em ritmo acelerado, mas ainda é pequeno em comparação a outros países. Nos Estados Unidos, 65% dos consumidores são livres. Já em alguns países da Europa, o mercado regulado nem existe, todos os consumidores negociam energia elétrica livremente, inclusive os residenciais. Muitas vezes o sistema brasileiro se inspira em tais modelos, que apresentam mecanismos de grande liquidez.

Panorama europeu

A produção de energia elétrica na União Europeia apresenta diferentes cenários. Na França, por exemplo, lidera a energia nuclear, na Estônia e Polônia, o destaque são as fontes de carvão. Enquanto na Dinamarca predominam as fontes renováveis. No âmbito geral, cerca de 45% da eletricidade provém da queima de combustíveis. 

Nesse contexto, o mercado de energia no continente europeu é formado pelo mercado de varejo, que é constituído por distribuidoras e pelos consumidores finais e pelo mercado de atacado, onde se comercializam grandes quantidades de energia, composto por grandes produtores, distribuidoras e consumidores. Nesse segundo, os preços da eletricidade são gerados no dia anterior para cada hora do dia.

Portugal

O mercado de energia de Portugal vem sendo liberalizado desde 2006, a abertura total é almejada até o final de 2025. No processo, a rede de distribuição foi separada do comércio de energia. Em relação ao abastecimento, em março de 2018, as fontes de energia renovável conseguiram gerar eletricidade suficiente para abastecer todo o território português. A marca de 100% de fontes renováveis se sustentou pelo abastecimento proveniente de hidrelétricas, usinas fotovoltaicas e usinas eólicas. Graças à política energética no país que criou condições favoráveis para o desenvolvimento de energias renováveis, incentivando a capacidade de geração eólica do país.

Reino Unido

O Reino Unido é uma ilha com potencial energético reduzido, em sua matriz elétrica, é possível observar um movimento de substituição do carvão pelo gás natural e por energia nuclear. Em relação às energias renováveis, houve um crescimento expressivo nas últimas décadas. 

No setor elétrico britânico, tanto a geração quanto a comercialização de energia estão em um regime de livre mercado, ao passo que a transmissão e a distribuição são atividades reguladas. A comercialização de energia no mercado atacadista pode ocorrer através de contratos ou no mercado de curto prazo. 

Alemanha

Na Alemanha, também ocorre um aumento considerável na participação das fontes renováveis. Isso porque o governo Alemão propôs iniciativas de modo a reduzir as emissões de gases poluentes e de atingir maior segurança energética. Aliado a isso, o país decidiu abandonar a energia nuclear desde o acidente de Fukushima.

A comercialização de energia no país é dividida em: Mercado atacadista e mercado de varejo. No primeiro, a comercialização de energia pode ocorrer através do mercado spot, em que se comercializa energia de curto prazo, ou diretamente entre os agentes. O setor elétrico Alemão conta com dois operadores: EEX, responsável por administrar o mercado spot, e EPEX SPOT, que é a plataforma do mercado spot que opera o mercado do dia seguinte através de leilões.

Estados Unidos

Nos Estados Unidos, as principais fontes de energia são o carvão e o gás natural e com isso, o país é um dos que mais libera CO2 na atmosfera. O sistema elétrico é divido em três sistemas que não são completamente interligados. Além disso, cada estado possui sua própria regulação dos serviços de eletricidade.

Em meio à crise atual provocada pela pandemia de Covid- 19, dados da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE apontam que o Brasil apresenta recuperação mais rápida que países da Europa. Quer saber se a sua empresa pode economizar participando do mercado livre de energia brasileiro? Faça uma simulação com a COPEL Mercado Livre e conte com uma migração segura e eficiente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Tamanho dos textos